Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2010

DO UNIVERSITÁRIO BRUNO PILEGGI SOBRE O "LEVANTE A MÃO E FALE ALTO"

Quando chegou às minhas mãos o novo livro de um de nossos ilustres mestres, Marcos Peixoto Mello Gonçalves, tenho que confessar que meu primeiro pensamento foi: “ótimo, era só o que eu precisava, mais um livro para aumentar a pilha dos outros tantos que eu preciso ler”.

Primeiramente, acreditei estar diante de um livro puramente acadêmico, cheio de regras e teorias.

Entretanto, sem perder muito tempo coloquei-me a ler a obra. Foi nesse momento que percebi a grandiosidade de sua escrita. Em menos de uma semana já havia lido, grifado e anotado em todo o livro que acompanhara a todos os lugares onde eu fosse.

“Levante a Mão e Fale Alto” é um daqueles livros para se ter sempre por perto, principalmente para aqueles que como eu, escolheram seguir o caminho das ciências jurídicas.

O texto é formulado de forma primorosa, tanto no plano narrativo como no estilo. A maneira precisa e concisa de escrever do professor Peixoto aproxima o leitor de suas idéias, tornando, pois, o livro de incrível facil…

PROF REIGOTA SOBRE O "LEVANTE A MÃO E FALE ALTO"

Caro colega e amigo Marcos Peixoto,

Li seu livro Levante a mão e fale alto e gostei muito.

Sob as duas perspectivas: conteúdo e forma.

Mestre e intelectual reconhecido que é, Você nos transmite reflexões das mais profundas, valendo-se de uma linguagem simples e elegante.

Certamente recomendarei a leitura de seu livro aos meus alunos.

Aceite meus parabéns,

João Manoel dos Santos Reigota

RESENHA DA PROF ELISA GUIMARÃES: "LEVANTE A MÃO E FALE ALTO - ÉTICA, CIDADANIA, DIREITO

GONÇALVES, Marcos Peixoto Mello. Ética, Cidadania, Direito. São Paulo:
Editora Quartier Latin do Brasil, 2010 – 128 páginas

Neste livro, Marcos Peixoto Mello Gonçalves, integrando-se a sólidos princípios, expõe de modo incisivo sua concepção dos valores embutidos na ética, na cidadania e no Direito.

O leitor, atento as suas lições, percebe no posicionamento do autor a figura do jurista ao lado da figura do professor.

O jurista evoca as propostas que, aos olhos da instituição jurídica, tornam-se válidas para serem aceitas pela comunidade. Fundamenta-se, pois, numa tábua de valores que parece inquestionável, enquanto mostra como o Direito atua e opera tecnicamente, ordenando a vida em sociedade.

Esses valores, bem como as ideologias que os sustentam, fixam-se como objeto da análise crítica que o autor desenvolve ao longo da obra.

Para isso, utiliza-se de sólidos construtos teóricos, ora hauridos nas fontes límpidas da sabedoria grega configurada nas teorias de Aristóteles e Platão, ora…