JANAÍNA PASCHOAL



Generais puseram o pijama para servir café na cama, dele!
Não! O Santa Cruz, não!
Este foi embora quando viu atrás da porta a sujeira escondida,
Verdade, dita mentira!

Moro acreditou no papo anticorrupção.
Trocou a magistratura por outra investidura!
Teve o tapete puxado.
Na mais infame cara dura!

Votei num presidente banana
Que quer deixar de sê-lo...
Só monta cavalo amestrado
Tem medo de cavalo em pelo!

A culpa é sempre dos outros
Da mídia e da televisão
Teimam em distorcer,
Em não lhe dar razão!

Até quando? Cadê a Janaína Paschoal
Para estancar o desvario
Em ritmo de Amazonas-Rio
E findar o estelionato eleitoral?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

30 anos da Constituição de 1988

OS QUATORZE PRINCÍPIOS DO ART. 1º DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988

POEMA PARA SÍLVIA!