Postagens

SER OU NÃO-SER

Ser ou não ser alguma coisa é diferente, é questão distinta do antônimo “ser e não-ser”, o “não-ser” com hífen. De fato, no primeiro caso, eu posso ser advogado ou não ser advogado. Ser médico ou não ser médico, e assim por diante. Ainda, ser professor e não ser professor e sim ser pintor, músico ou encanador.             Ser ou não-ser, ser e não-ser, por outro lado é questão filosófica difícil de entender. O ser é algo, com existência e consistência. Já o não-ser é o nada,  sem existência e portanto, sem consistência. Eu posso pensar e imaginar o ser. Mas não posso pensar ou imaginar o nada, o nenhum, o coisa alguma, o “não-ser”.             É preciso cuidado para não confundirmos o nada, o “não-ser” com um objeto ideal, abstrato, um número, por exemplo. O número um, o número dois, etc são seres ideais, só existem na mente humana, como entes abstratos, mas classificam-se como objetos ideais, e, portanto, caem na categoria do “ser” e, pois, não caem na categoria do “não-ser…

2018

Irene me pede apenas um texto otimista, sem dizer em relação ao quê, a quem e onde. Mas delimita: 2018. Bem, hoje é dia de Reis no calendário católico, início de ano, pois. Nostradamus previu a terceira guerra mundial para depois da morte do Papa Navegador, São João Paulo II. Esperemos, então, que não seja neste ano.                 Vindo do mundo para a nossa América Latina, otimismo, parece-me, é esperar o fim da ditadura Maduro mediante diálogo, sem a necessidade de aprovação, pelos organismos internacionais e regionais, de intervenção militar que salve o povo venezuelano da fome e da repressão imposta pelo ditador.                 Chegando ao Brasil, pois, em primeiro lugar, espero que a idiotia lulofascista e a idiotia contrária não nos leve a uma guerra civil. E, mais, apesar da atual e intensa tensão social perceptível nos transportes coletivos, que cheguemos a 2019 com a taça do mundo a ser conquistada na Rússia e com um presidente eleito em eleições limpas e …

LIDERANÇA DE PRINCÍPIOS

O líder precisa de paciência, entusiasmo, motivação própria e capacidade de motivar os outros a fim de exercer as funções de planejar, coordenar, organizar e controlar! O exercício destas funções, entretanto, pressupõe uma cosmovisão ou uma visão de mundo.             As quatro cosmovisões mais conhecidas são a narrativa judaico-cristã exposta na Bíblia e no Novo Testamento, a islâmica explicitada no Corão, a marxista resultante da lei do materialismo histórico e dialético e a científica, resultante das experiências verificadas mediante demonstração e comprovação.             A moral natural, por sua vez, indica quatro regras: fazer o bem e evitar o mal, viver honestamente, não lesar o próximo e dar a cada um aquilo que lhe é devido.             A ética clássica diz que a felicidade é um estado de espírito que se adquire pela prática da virtude, um meio termo entre o excesso e a falta. Nesta linha, a justiça é a virtude mais perfeita, ao lado da prudência, da coragem e da te…

SENTIMENTO DE IMPOTÊNCIA

O sentimento é de impotência em relação ao poder político. Sentimento pessimista, ou, talvez, realista. Não sei, obviamente, se apenas eu o sinto. Ou ainda, se somos alguns a senti-lo, se muitos ou se quase todos os brasileiros. Impotência em face da política.                                  Passei a observar este meu sentimento a partir do apelo do papa Francisco. É que ele pede aos cristãos que entrem na política, participem, opinem e influenciem. Ouvi e li a exortação. A minha reação imediata foi este profundo sentimento de impotência.                                  Impotência diante dos mecanismos de acesso e de exercício do poder político. Impotência diante dos oligopólios econômico-financeiros. Impotência em relação ao sistema tributário regressivo, impotência..., etc!                                   Calma, Marcos. Francisco não nos pede que salvemos o mundo das profundas injustiças sociais, da abissal desigualdade de oportunidades. Não pede qu…

31 / 12 / 17 ANTICORRUPÇÃO

O movimento anticorrupção ganhou tração em mais um ano de combate. E a resistência da classe política, por sua vez, evidenciou-se pertinaz. Sim, porque, já em agosto de 2004 o professor Roberto Romano e eu assinamos artigo na Folha de São Paulo, intitulado “Pela Democracia”, em que defendíamos a competência do Ministério Público para investigar crimes. À época o STF discutia se o Ministério Público teria tal competência ou se ela seria exclusividade da Polícia, discussão aberta por um deputado federal que pretendia anular, no STF, um inquérito criminal realizado pelo Ministério Público Federal. Em março de 2013 as jornadas de junho obrigaram a Câmara dos Deputados a arquivar a PEC 37, através da qual se castraria o poder de investigação criminal do Ministério Público. Depois do estelionato eleitoral praticado pela vitoriosa, após a mais sórdida campanha presidencial, a de 2014, em março de 2016 ela é impedida como consequência dos seis milhões de cidadãs e cidadãos que foram às ruas …

CIDADÃO PARTICIPATIVO!

Irmãos da espécie animal humano, irmãos de filiação divina!
                “Tens fé, ainda que diminuta?” Ouvi um pregador fazer esta pergunta, seguida da resposta de que por menor que ela seja, basta, é o suficiente. Fé em Deus! “Basta para te fazer um próspero vencedor e um vencedor próspero”. Fé e confiança Nele! Pedindo ao altar e contribuindo com o dízimo a este mesmo altar. Fé convicta, sem duvidar. Fé na Bíblia, fé na Palavra, fé em Jesus Cristo. Fé em que Deus tudo pode, fé em que Ele me atende. Claro, se eu tenho fé, se eu confio Nele, se não duvido da palavra Dele. Fé em Deus-Pai, em Deus-Filho e em Deus-Espírito Santo.
                Defino a fé como a adesão com convicção a algo que não ofereça explicação racional, como, por exemplo, a ressurreição de Jesus ao terceiro dia! Não há explicação racional para a ressurreição. Logo, o cristianismo não é uma teoria, do tipo da teoria psicanalítica ou da teoria marxista, para citar as mais importantes do sécul…

HÁ UM PROPÓSITO?

Filha do Estado de Goiás, de Goiânia. Não traz o nome do pai. Carrega o sobrenome da mãe, com quem sempre viveu, nome de um cavaleiro da esperança, para muitos. Nome de uma coluna histórica. A mãe, pelo relato dela própria, uma morena bem apanhada, a ponto de o patrão desejá-la amante, sem o conseguir, a mulher tinha caráter, sustentou a filha e a fez administradora de empresas com três MBAs. Além, pasmem, de incentivar o atletismo, ajudando-a a tornar-se campeã goiana, em 2002, na modalidade fisiculturista. Um e cinquenta e oito de altura, sessenta e dois de peso, sabemos, músculos pesam bem mais do que banha e ela não a tem nenhuma. Falecidos, ambos, pai e mãe. Foi na Nossa Senhora de Fátima, em um domingo de maio que a conheci. Sentada na beirada de um banco vazio, eu me sentei no meio. _ Você vai comungar? _ Tive maus pensamentos, não. _ Deus perdoa. Sua presença aqui demonstra o arrependimento. Levantou-se e caminhou na minha frente. Soube mais tarde dos motivos que a levaram ao dese…