Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2011

Levante a mão e fale alto

Veja a capa do livro através do link abaixo.

http://farm7.static.flickr.com/6164/6192682523_e7fef8ff4d_m.jpg

FERNANDO GABEIRA APOIA A MARCHA CONTRA A CORRUPÇÃO E RECONHECE O INTERNETISMO

"As vozes que não se calam"


“Dados na mesa: a corrupção desviou R$ 40 bilhões em sete anos, R$ 682 milhões no Ministério dos Transportes;

o Brasil caiu 20 posições no ranking da infraestrutura, segundo pesquisa do Fórum Econômico Mundial – deixou o 84º para ocupar o 104º.

Mesmo sem precisar o peso, é inegável que a corrupção desempenhou um papel nessa queda.

Apenas isso seria suficiente para justificar a presença da luta contra o desvio de verbas públicas no topo da agenda nacional.”

... ...

"Algo começou com as manifestações de 7 de setembro. Como em todos os pontos do globo, elas lançaram mão da internet, instrumento sobre o qual não há controle numa democracia."

Jornal "O ESTADO DE S.PAULO", 18 DE SETEMBRO DE 2011, PÁG. A2

7 DE SETEMBRO DE 2011 A MARCHA CONTRA A CORRUPÇÃO

Cheguei ao Masp, na Av.Paulista, lá pelas 10 horas da manhã. Logo encontrei a Ângela Barea, economista que conheci na passeata de outro 7 de setembro, a que a Carolina Araújo convocou pela Internet contra o mensalão.

Algumas alunas do Direito Mackenzie atrás de uma faixa, logo me viram e me chamaram. Parabenizei-as pela presença. Notei que não havia uma direção. Estávamos todos ali em razão da Internet.

Percebi uma universitária portando um megafone, pedi emprestado, subi na mureta em frente ao vão do Masp e, apoiado pela Vera Cecília, outra conhecida que acabara de encontrar, improvisei e discursei.

“Estamos aqui unidos por um sentimento comum. O sentimento de repulsa à corrupção. Possuímos um denominador comum, a indignação contra a corrupção..,” e fui por aí, aquecendo os presentes que respondiam com gritos, urras e entusiamadas palmas.

Claro que tive de dar entrevistas logo a seguir. Nem sei pra quem, a não ser uma jornalista que me deu seu cartão, Luciana Quierati, também blogueira …

“SEM INTERMEDIÁRIOS”

(comentários ao artigo de José Roberto de Toledo, ESP de 05/09/2011, pág. 06)

Sob este título, o jornalista de “O ESTADO DE S.PAULO” relata que na Índia, o projeto Aadhaar pretende fazer o cadastro digital de todos os indianos.

Trata-se, segundo conta, de uma iniciativa de Nandan Nilekani, fundador da Infosys, com o apoio da família Gandhi, que comanda o poderoso Partido do Congresso e o aval do primeiro-ministro Manmohan Singh.

“O Aadhaar resolve o problema da identificação à distância. Através das câmaras dos celulares seria possível, em tese, identificar qualquer pessoa para realizar todo tipo de atividade, até votar. Hoje isso é impensável. Daqui a dez anos (ou menos) não será. O processo será tão fácil e rápido que pode colocar em xeque o sistema de democracia representativa, em prol da democracia direta”, afirma.

“É tudo o que os políticos e partidos não querem”, acrescenta.

É preciso, adverte ainda, evitar que a democracia direta venha a ser um atalho para a ditadura da maior…

CORAGEM E MUITOS VIVAS À PRESIDENTA DILMA!

Ontem tuitei Viva Dilma, Viva Dilma, Viva Dilma,...

Porque vibrei com a diminuição da taxa Selic em 0,5%.

Pegou todo mundo de surpresa.

Os banqueiros executivos ficaram nervosos porque o Banco Central não lhes deu ouvidos, já que pressionaram o BC para que não mexesse na taxa. Tudo bem, diziam, que em face do panorama internacional não se aumente, agora, os juros. Mas baixa-los? Essa não!

Para quem não sabe, os bancos ganham tanto mais quanto maior for a taxa Selic. Para aumenta-la patrocinam vários programas de rádio e televisão e inúmeros economistas e comentaristas da economia.

Persuadem com um discurso falacioso. Dizem que a ciência econômica é separada da ciência política e que por isso é técnico que o Banco Central seja autônomo em relação ao governo do país.

Fazem da autonomia institucional do BC o seu argumento político.

E quando conseguem emplacar este argumento com o apoio da mídia, a exemplo dos tempos FHC/LULA promovem a captura do BC mediante o Boletim Focus, que até há …