domingo, 14 de junho de 2009

A MELHOR FORMA DE COMBATER A CORRUPÇÃO

Para Anny Pires Bueno é o investimento em educação básica, a fim de reduzir a marginalidade, o que facilitará a obtenção de empregos que possibilitem a satisfação das necessidades básicas dos indivíduos.

Para Beatriz Ricci Noronha é aplicando a justiça, dando a cada um o que lhe é devido, estabelecendo através do direito, uma garantia contra a injustiça.

Para Aram Daniel Cortiz Hazarian é uma fiscalização e uma punição mais rigorosa de todos os servidores públicos de todos os órgãos públicos e em todos os campos de atuação humana, como a política assim como o estudo da displina ética em todas as escolas do Brasil.

Para Beatriz Valentin Paccini é a população exigir a punição dos representantes corruptos a partir, primeiramente, da admissão de que há corrupção.

Para Bruna de Lima Fernandes é investir na educação de base para, através de educação continuada em torno de valores como a justiça, a moral e a verdade mudar a mentalidade, a fim de fazer o povo não aceitar mais frases como esta, "rouba mas faz".

Para Bruno Alberto Guilhem Pereira é cortar os custos dos órgãos públicos, enxugando os salários dos servidores públicos e fazendo os políticos trabalharem para o bem comum.

Para Bruno Ribeiro Martinez Massa é o fim da imunidade parlamentar com o recrudescimento das penas e sanções para que os políticos realmente paguem pelos crimes que cometem.

Para Camila de Carvalho Ribeiro dos Santos é uma investigação e punição dos políticos corruptos de hoje e uma conscientização para o exercício da democracia, votando conscientemente.

Para Carla Segala Alves é combater a impunidade, garantindo que os corruptos sejam punidos.

Para Carolina Fernandes Bispo é não sendo corrupto, como por exemplo, não corrompendo o guarda municipal de trânsito, a fim de não perpetuar a corrupção; esta iniciativa individual sendo de todos fará com que possamos exigir os nossos direitos.

Para Carolina Firmino Rodrigues é uma conscientização política da população para uma maior participação dos cidadãos na luta pelos seus direitos, diminuindo as regalias dadas aos políticos, a fim de que realizem apenas os seus papéis.

Para Daniel Brito Jatobá é combatendo a impunidade, para reduzir o número de políticos corruptos. E mais, melhorando a qualidade da educação das crianças nas escolas públicas.

Para Marília Carlota de Oliveira é a reestruturação do sistema político-econômico-jurídico brasileiro no sentido de iverter a concentração da renda nacional, passando da União para os Estados. Assim, ao invés da União redistribuir a arrecadação aos Estados, estes é que supririam as necessidades da União. E mais: maior fiscalização, maior transparência e troca dos políticos por outros não contaminados pela ambição do dinheiro fácil.

Para Renata Lumy Takaya é cassar os mandatos dos políticos corruptos, prendê-los e não permitir que sejam eleitos novamente; ainda, verificar suas contas e movimentações bancárias.

Estas são algumas opiniões de meus alunos e alunas do 1º B da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie e que devem ser levadas em conta por todos nós.

2 comentários:

Camila disse...

Adorei ver o meu aí =)

Rodrigo Segurado disse...

Prezados Senhores,

Estamos tentando descobrir uma forma de contatar Bruno Ribeiro Martinez Massa.

Encontramos hoje, perdido no parque o Ibirapuera, sua carteira de habilitação e gostaríamos de entregar o documento para ele.

Se alguém puder nos ajudar a contata-lo agradeço.

Meu celular é (11) 8349-9595 e meu nome é Rodrigo.