LEVANTA A MÃO E FALA ALTO

Em fins do ano passado, conversando com a Patrízia Bergamaschi e a sua irmã Adriana sobre magistério, o exercício de cidadania em torno do Direito de Petição, a política brasileira, a passividade generalizada, acabei por contar que costumava pedir aos meus alunos e alunas que levantassem a mão e falassem alto.

A Adriana que é uma especialista em comunicação pinçou a frase da nossa descontraída conversa e a colocou em destaque. “Levanta a mão e fala alto”.

Está aí, disse ela. A frase resume tudo. Você tem de usá-la. Ela é muito boa. Forte, inteligível, encaminhadora.

De fato. Fiz alguns testes e todos que a ouviram apoiaram-na, considerando-a densa de sentido.

Ela combina algumas virtudes.

Em sala de aula, ao mesmo tempo em que exijo silêncio absoluto, todos sabem que podem e devem participar, bastando levantar a mão e receber a autorização para falar. E se o aluno ainda é tímido, encorajo-o a falar alto, assumindo postura de autoconfiança, e o estimulo a pronunciar bem as palavras.

Transportando esse hábito para a vida em sociedade, a frase sugere que o cidadão faça a sua reivindicação de maneira corajosa, firme, pelos meios adequados, mediante os direitos constitucionais. E o Direito de Petição é um deles.

Desenvolvo este exercício de cidadania em torno do Direito de Petição há vários anos na Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Grupos de até cinco alunos são formados, cada um sugere com absoluta liberdade o tema que desejaria fosse tratado por todos e depois de algum debate o escolhe-se apenas um tema dentre os propostos.

Em seguida, o grupo trabalha o tema escolhido através do método do VER, JULGAR e AGIR. Recolhem os dados, listam os pontos positivos que consideram valores, listam os pontos negativos que consideram desvalores e formulam as ações necessárias à superação dos desvalores, ações imediatas e mediatas.

O terceiro passo é o da Ética Constitucional. O grupo identifica os artigos da Constituição que tratam da matéria e conferem se os valores propostos pela Carta Magna estão sendo atendidos pelas propostas que formulam. Às vezes, ao lado de pedidos de informação, cobrança de providências, formulação de sugestões, surgem representações feitas aos Ministérios Públicos, federal e estadual.

O exercício termina com o envio do requerimento, devidamente assinado por todos os membros do grupo, ao órgão responsável pelo tema abordado.

De maneira geral, os órgãos competentes respondem aos peticionantes, que se insatisfeitos com a resposta, o que é raro, voltam ao mesmo com um segundo requerimento.

E agora, LEVANTA A MÃO E FALA ALTO será divulgado pela TV Mackenzie, mostrando a toda a comunidade como a cidadania pode modelar o Estado, linha de pesquisa da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Comentários

Jaelson Oliveira disse…
Boa Tarde!

Sou aluno de direito e, por indicação do Prof. Gustavo Canavezzi, interessei-me pelo livro "Levanta a mão e fala alto".
As livrarias aqui de Sorocaba não o possui para vendê-lo... Como faço para obter um desse?

E-mail: jaelson_oli@hotmail.com
Cel. 15 8130-6615

Postagens mais visitadas deste blog

OS QUATORZE PRINCÍPIOS DO ART. 1º DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988

IMPEACHMENT DE PARLAMENTARES: a revogação de mandatos através do voto.

HÁ UM PROPÓSITO?