domingo, 25 de abril de 2010

60% AINDA NÃO SABE INDICAR UM NOME PARA PRESIDENTE. MAS SÃO ELES QUE DECIDIRÃO!

Achei espantoso este resultado, publicado dia 22 de abril passado, à página A4 do Estadão.Pesquisa realizada pelo Ibope, entre dias 13 e 16 de abril, com 2002 eleitores, em 141 municípios.

De fato, o texto completo do analista José Roberto Toledo, especializado em reportagens com o uso de estatísticas, diz:

“...metade dos eleitores dizem ter pouco ou nenhum interesse pelo pleito.

Além disso, 60% dos eleitores ainda não sabem dizer espontaneamente o nome de um pré-candidato que esteja concorrendo à Presidência. São eles quem vão decidir a eleição.”

Constata-se, portanto, quão frágeis e pouco significativas as porcentagens divulgadas pelas manchetes de jornais e artigos de revistas, como a da Veja deste domingo a respeito da corrida presidencial.

E não nos esqueçamos que a Copa do Mundo na África do Sul vai polarizar as atenções dos brasileiros, relegando a reflexão sobre a eleição presidencial, apenas, para depois da copa.

Em todo o caso, é bom que haja divulgação espalhafatosa das pesquisas, porque isto consolida a idéia de que haverá eleição em outubro próximo, de que o atual presidente não é candidato, de que não se corre o risco de um terceiro mandato, de que a alternância de poder é uma possibilidade real, de que a democracia brasileira, mais complexa, tende a vingar sobre os projetos continuístas, a exemplo dos países socioeconômicos e culturalmente menos desenvolvidos da América Latina.

Abrindo um parêntese pessoal, eventual leitor, dia 24 de abril foi aniversário de meu falecido pai. Que Deus o tenha em sua glória!

Destarte, falando em ontem, também merece comentário, a manchete do Estadão: "Serra tem mais preparo que Dilma contra crise, diz Ciro". E ainda: "Em 2011 ou 2012, o Brasil vai enfrentar uma crise fiscal, uma crise cambial. Como o PT, apoiado pelo PMDB, vai conseguir enfrentar esta crise? Dilma não aguenta. Serra tem mais chances de conseguir".

Bem, supondo que Lula seja mais do que apenas inteligente para saber disto, uma vez que é o político mais sagaz e esperto para liderar e manipular, esta explicitação de Ciro reforça a minha percepção de que Dilma não é uma candidata para valer, no sentido de candita para ganhar a eleição de verdade, o que já expliquei no texto "Sou eu (Lula/3ºmandato), ou, sou eu (Lula/líder da oposição)", de dias atrás.

Voltando ao Ciro, vale registrar o que Fernando de Barros e Silva afirma em sua coluna "Arrebentou" publicada à página A2 da Folha de São Paulo ddeste mesmo 24 de abril, como "reação ao estrangulamento de sua candidatura":

"1.Questionou a onipotência de Lula ('Ele está se sentindo o Todo-Poderoso e acha que vai batizar Dilma presidente')"

2."Dilma é melhor do que o Serra como pessoa. Mas o Serra é mais preparado, mais legítimo, mais capaz"

3."Minha sensação agora é que o Serra vai ganhar a eleição"

O articulista da Folha esclarece que "são declarações publicadas pelo site noticioso iG, em reportagem de Eduardo Oineque.

Marina Silva, por sua vez, faz uma reflexão bastante apropriada a respeito do estrangulamento de Ciro Gomes. Diz, conforme reportagem de Bernardo Mello Franco, à página A7 da Folha, do mesmo dia 24, intitulada 'Deputado é alvo de ação perversa':

"Não é admissível que se queira manipular o direito de escolha por meio da redução forçada do leque de opções. ... Os que costumam agir desta maneira são aqueles que têm dificuldade em transformar a visão democrática em ação e não admitem a alternância do poder".

Mas afinal, por que é que eu estou dedicando tempo para fazer estes registros? Por prazer, porque eu gosto! E, como acaba de me lembrar o Augusto, que acaba de chegar, hoje 25, é o dia da Revolução dos Cravos em Portugal.

Viva a Democracia!

2 comentários:

Felipe Marin Vieira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Felipe Marin Vieira disse...

Novamente, retratando o comentário, reescrevo que é lamentável o resultado dessa pesquisa e que isso reforça a afirmação que fiz no comentário anterior, a respeito da eleição de Marina Silva, que o povo não parece estar "ligado" no assunto, tornando demasiadamente difícil dizer que a "sabedoria popular" elegerá a melhor candidata, uma vez que a "sabedoria popular" está preocupada com a troca de favores, com a obrigação de votar naquele que lhe deu uma dentadura, ou que arrumou um emprego para um familiar próximo...