CRIATIVIDADE


            Parece que já faz um século que a Presidente/a Dilma propôs aquela “fuga para frente”, o plebiscito, morto, enterrado e sepultado. Dos cinco pactos então, o fiscal, etc, ninguém sequer lembra. E seu pronunciamento foi dia 21 de junho, não faz nem um mês. Ontem, dia 11 de julho, todas as centrais sindicais quiseram se mostrar, e fora os prejudiciais bloqueios das estradas, evidenciaram ser apenas estruturas burocráticas sem representatividade, 100.000 pessoas em todo o país, muitas recebendo “humanitária ajuda de custo” para empunhar bandeiras. Um fiasco!
O Congresso se mexe, mas a atual engenharia eleitoral partidária esgotou-se, perdeu a confiança do povo e, pois, a legitimidade. A classe política passou a ser o perigo da democracia, 80 % da população julgando os políticos, corruptos. Os governos vão se desfazendo, agora conduzidos pelos fatos.
Destarte, a anarquia sempre antecedeu as ditaduras. Xôoo, ditadura!
Dia 10 de julho, Fernão Lara Mesquita, do Estadão, propôs o distrital com recall. Gostei do recall, a possibilidade do eleitor destituir do mandato, um parlamentar ou chefe de executivo, revogando-o através do voto. É sugestão que aumenta o controle do eleitor sobre o eleito, aperfeiçoando a democracia representativa. Penso que vale um projeto de lei de iniciativa popular e uma campanha em torno.
De outra banda, notícia dos Estados Unidos publicada ontem na FSP traz pesquisa da Gallup, dizendo que “68% dos americanos entrevistados disseram-se favoráveis a uma lei que demandasse referendos nacionais para qualquer tema, desde que uma parcela do eleitorado assinasse um pedido prévio”.
Pois bem. Nesta era da Internet sugiro disponibilizar plataformas para que os internautas formulem perguntas que julguem possam ser respondidas pelos “netizens”, apenas com um “sim” ou um “não”. Eu perguntaria.
Quer eleger alguém para representar a sua vontade?
Quer que os parlamentares prestem contas das suas atividades em portais pessoais, semanalmente?
Quer participar da elaboração do orçamento da República?
Quer participar da elaboração do orçamento do seu Estado?
Quer participar da elaboração do orçamento do seu município?
Quer contribuir com um dia de trabalho por ano para o SUS ao invés de continuar sustentando as burocracias sindicais?
 Quer continuar pagando suas prestações com juros reais acima de 12 por cento ao ano?
Enfim, você acrescentaria alguma, aí nos comentários? Vamos juntos, de forma autônoma, sem partidos, estruturar um plebiscito online? Certamente, cada um na sua área sabe o que deve perguntar para melhorar o Brasil.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

OS QUATORZE PRINCÍPIOS DO ART. 1º DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988

IMPEACHMENT DE PARLAMENTARES: a revogação de mandatos através do voto.

HÁ UM PROPÓSITO?