CARTA ABERTA À SENADORA MARINA SILVA

Prezada Senadora Marina Silva

1 – Considerei gravíssima a sua saída do Ministério do Meio-Ambiente, em 2008. Prejudicial ao País. Como reação, procurei motivar meus alunos da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie e eles realizaram uma “Passeata Ecológica” no segundo sábado de setembro de 2008. Sobre ela, há um documentário disponível em http://www.passeataecologica.blogspot.com/ e no http://www.youtube.com/ .

2 – Postei “MARINA X DILMA” no http://www.blogdoprofessorpeixoto.blogspot.com/ em 16 de junho de 2009, para mostrar que se trata de confronto entre duas visões distintas, conclamando apoio à visão Marina Silva.

3 – Posteriormente, em artigo bem elaborado e com o mesmo sentido do texto “MARINA VERSUS DILMA”, Fernando Henrique Cardoso no jornal “O Estado de São Paulo” de 05 de julho de 2009, à página 02, sob o título de “O pós-Real” mostrou o retrocesso de posturas governamentais neodesenvolvimentistas, do tipo “pau na máquina”.

4 – Por outro lado, li anteontem que o Partido Verde convidara-a para ser a candidata dele à Presidência da República.

5 – Ontem, dia 02 de agosto, à página 09 do caderno “Mais” do jornal “Folha de São Paulo”, sob a manchete “Dos EUA, com carinho”, li a matéria que trata da aprovação em junho passado pela Câmara dos Representantes daquele país, do “Ato de Energia Limpa e Segurança de 2009. Ela institui o sistema “cap and trade” para controlar as emissões de carbono. E prevê que a partir de 2020 seja imposto um ‘ajuste de fronteira’, uma tarifa sobre bens originários de outros países que não estejam tomando providências a respeito das suas emissões de gases ligadas ao aquecimento global.

6 – Assim como em um incêndio o líder passa a ser o bombeiro, também em cada circunstância histórica o povo tem sabido escolher o líder mais preparado para enfrentar os desafios do momento. Collor venceu a hiper-inflação e promoveu a agenda internacional da nossa economia; Itamar consolidou-a, ressuscitou-a através das Câmaras Setoriais e lançou o REAL; FHC consolidou e estabilizou a nova moeda, trouxe o capital privado para os investimentos de infra-estrutura através das privatizações e aprovou a lei de responsabilidade fiscal; LULA manteve a estabilidade da moeda e impulsionou o mercado interno com o Bolsa Família e com os aumentos do salário mínimo, do funcionalismo e das aposentadorias, aproveitando o boom dos preços das comodities para aumentar as reservas internacionais do país.

7 – E agora, qual a pessoa pública com mais vivência e experiência para colocar o Brasil como POTÊNCIA AMBIENTAL, a partir do nosso grande diferencial que é a Amazônia?

Atenciosamente,

São Paulo, 03 de agosto de 2009

Marcos Peixoto Mello Gonçalves

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

OS QUATORZE PRINCÍPIOS DO ART. 1º DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988

IMPEACHMENT DE PARLAMENTARES: a revogação de mandatos através do voto.

HÁ UM PROPÓSITO?